monitoramento da glicose

Monitoramento Da Glicose Na Diabetes Mellitus

O Diabetes Mellitus é uma doença que requer muitos cuidados.  Entre estes cuidados, um fator importante é o monitoramento da glicose.

Como alternativa para o controle da taxa de açúcar no sangue, muitas vezes é necessário o uso de insulina. Para aplicar a insulina várias opções são apresentadas através de: injeção com ampola e seringa, através de canetas de insulina e bomba de infusão de Insulina.

Monitoramento da Glicose – Uso da Insulina

monitoramento da glicose

Insulina Injetável Através de Ampola e Seringa

Usada como a forma mais tradicional de aplicação.  A insulina é aplicada na camada subcutânea com seringa descartável.

Caneta de Insulina

Ferramenta que se caracteriza por apresentar cartuchos contendo insulina, colocados em uma caneta giratória, com agulha descartável na ponta.

Bombas de Infusão de Insulina – O que é?

As Bombas de Insulina são pequenos aparelhos portáteis que liberam a insulina continuamente, através de uma cânula, colocada sob a pele. O aparelho é parecido com um bip e tem em média 3 cm de espessura. Fica ligada ao corpo por um cateter através de uma ligação que não causa dor, e possui uma agulha.

Recentes pesquisas demonstraram que para o Diabetes tipo 1, as bombas de Infusão de insulina são mais eficientes do que a aplicação de múltiplas injeções diárias.

É um equipamento que ainda não se popularizou no Brasil, e requer uma série de cuidados e orientação médica. Contudo é um avanço tecnológico que contribui muito para um tratamento eficaz e longe das injeções constantes.

Monitor Contínuo de Glicose

O monitoramento da glicose é realizado através da medição da taxa de açúcar no sangue, 24 horas por dia. Um monitor de glicose pode ajudar a entender como seu estilo de vida e padrão alimentar influencia seus níveis de açúcar no sangue.

 Estes aparelhos além de medir a taxa de glicose, dispõem de alarmes que alertam para hipoglicemia e hiperglicemia.

 

Como Funciona o Monitor Contínuo de Glicose

Um pequenino sensor é colocado abaixo da pele. Este sensor mede a glicemia de 5 em 5 minutos e envia as informações a um monitor que pode estar em um bolso ou acoplado a um cinto.

De posse das informações, a pessoa pode avaliar se a alimentação, medicação e atividades físicas estão adequadas ou se precisam ser modificadas. Porém estes sensores ainda não substituem os glicosímetros.

Para fazer este monitoramento da glicose é preciso aprender a lidar com o equipamento. É necessário que a pessoa seja treinada para usar. Porém não há dificuldades no uso, pois o aparelho foi criado para facilitar a vida do diabético

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *