A Diabetes têm sido o sonho ruim de muita gente, mas não precisa continuar sendo assim. Porque já chegou a hora de parar de aceitar as consequências da diabetes e começar a se prevenir.

Prevenção e cuidado. São estas as palavras que precisam ressoar em nossos ouvidos quando nos remetemos à Diabetes.

E não é tão difícil como se pode pensar. Difícil é ter que enfrentar as consequências da Diabetes – resultado da falta de cuidado, da falta de informação e da falta da alimentação e medicação adequadas.

Mas, fique atento. Veja as consequências da Diabetes Mellitus. Observe bem os males, sequelas e sofrimentos que esta doença pode causar:

Consequências da Diabetes – Consequências – Causas e Efeitos

 

consequência da diabetes

 

OLHOS – Retinopatia Diabética – cegueira

Os olhos são espelho d’alma – então cuide bem deles principalmente se você for diabético. Este é um bom conselho, amigo. Sabe por quê? Muito simples de responder: – a Diabetes tem provocado uma séria doença chamada Retinopatia diabética.

O que é isto?

Retinopatia Diabética – ocorre quando os vasos sanguíneos que ficam perto da retina sofrem algum tipo de dano. Ou seja, Os vasos sanguíneos que estão próximos à retina incham e deixam extravasar sangue.

Acompanhe o passo a passo da Retinopatia Diabética

1.      Fase Não Proliferativa –  Esta fase representa o estágio inicial da doença. Os vasos sanguíneos tornam-se frágeis e surgem microaneurismas   onde os pequenos vasos que irrigam a retina sofrem dilatação em algumas partes.
2.      Estes vasos podem deixar ocorrer pequenos vazamentos de sangue ou fluido.
3.      Estes vazamentos podem causar edema macular, quando afetam a mácula. A mácula é uma pequena região no centro da retina. Ela é responsável pela visão nítida com detalhes.
4.      O edema macular acontece quando há o acúmulo de líquido na mácula, causando inchaço ou espessamento da retina.
5.      Na retinopatia diabética proliferativa além de vazamento de sangue os vasos frágeis podem deixar vazar proteína e gordura que ficam depositadas em forma de placas na retina.
6.      Alguns vasos sanguíneos ficam bloqueados comprometendo a irrigação sanguínea da retina.
7.      Fase Proliferativa– Esta é uma fase crítica da doença. Algumas partes da retina deixam de ser irrigadas pelo sangue e param de receber oxigênio.
8.      A retina fica carente de oxigênio devido à pouca circulação sanguínea. São enviados sinais ao organismo para formação de novos vasos sanguíneos. Isto é chamado de neovascularização. Novos vasos sanguíneos são formados, porém são vasos frágeis e na maioria defeituosos.
9.      Estes vasos sanguíneos defeituosos, possuem paredes frágeis e podem romper-se e espalhar sangue pela cavidade vítrea provocando a perda da visão.

A Retinopatia Diabética é uma grave complicação que pode afetar os diabéticos que não se cuidam. A permanência constante da hiperglicemia (glicose alta no sangue) é a causa desta doença.

A retinopatia pode levar ao descolamento de retina e cegueira. Ela é uma patologia que avança lentamente, então ela só ocorre nas pessoas diabéticas que levam anos e anos sem cuidar direito das taxas glicêmicas.

Diabetes – Outras complicações óticas:

 

Catarata e Glaucoma

O que acabamos de constatar é que certas Consequências da Diabetes ocorrem exclusivamente por falta de cuidados ou quem sabe por falta de informação adequada? Este é mais um motivo para ficarmos atentos. E quando se trata da visão ainda não falamos tudo. O diabético ainda corre o risco de ser afetado pela Catarata e pelo Glaucoma Diabéticos.

E os Rins? – Nefropatia Diabética

Ah! Este também precisa de muitos cuidados. Eles são os filtros do corpo. Os rins têm a função de eliminar substâncias tóxicas.

Mas, a  Nefropatia Diabética altera esta condição, atrapalhando o funcionamento correto. Os rins passam então a não conseguir executar a filtração correta.

Além disso passam a descartar substâncias que deveriam reter, como as proteínas.  A doença leva então à perda de proteínas e acumulação de substâncias tóxicas no organismo. Esta condição não pode ser mantida por muito tempo.  E os rins acabam por reduzir drasticamente sua atuação até parar completamente.

Esta complicação reserva uma boa e uma má notícia.

A boa notícia é que é uma doença que avança muito lentamente, pois pode levar até 20 anos até causar a falência dos rins.

 A má notícia é que é uma doença que se inicia silenciosamente, quando aparecem os sintomas ela já está instalada no organismo.  Nos casos avançados as opções são: fazer diálise constantemente ou realizar transplante de rins.

Então o melhor é cuidar para não dar chance a esta doença.

Neuropatia Diabética

 

Outro agravamento do Diabetes, que você precisa ficar por dentro é o que afeta o sistema nervoso, principalmente os nervos periféricos.   O problema é denominado Neuropatia Diabética.

Geralmente ocorre nos casos em que a taxa de glicose fica constantemente muito alta. Esta doença ocorre porque os vasos sanguíneos que irrigam os nervos são afetados pela alta de glicose.

Por aí já dá para ver que para evitar, é preciso cuidar do Diabetes e não deixar que a glicose permaneça alta.

Algumas pessoas apresentam sintomas como perda da sensibilidade ou formigamento, nos pés, nas mãos, nos braços e pernas. Esta perda de sensibilidade pode levar a pessoa a sofrer uma lesão sem perceber.

O tipo de neuropatia mais frequente é a que afeta os nervos das extremidades do corpo, como os pés, mãos, braços e pernas.  É a neuropatia periférica. Mas os danos nervosos também podem afetar os outros órgãos.

A Diabetes favorece o surgimento de infecções, que ocorrem devido a Neuropatia diabética e devido à má circulação sanguínea. Fica tudo mais complicado já que a Diabetes fragiliza o sistema imune e compromete a circulação sanguínea.

Efeitos do Diabetes sobre o coração e as artérias

 

Aterosclerose e problemas cardiovasculares

Talvez você nunca tenha pensado que a Diabetes pudesse mexer tanto com o organismo, não é mesmo? Mas a verdade é que trata-se de uma doença que envolve múltiplos fatores de agravamento.

Entre estes fatores estão as alterações nos vasos sanguíneos. Esta situação provoca formação de placas de gordura nas paredes dos vasos, que é a aterosclerose. Isto dificulta o fluxo sanguíneo que leva oxigênio e nutrientes ao coração.

A hiperglicemia e resistência insulínica causadas pela Diabetes colaboram com a ocorrência de aterosclerose e contribuem para aumentar os riscos de problemas cardiovasculares.

Além disso nos diabéticos não se manifesta um dos principais sintomas de infarto, que é a dor aguda no peito. Isto muitas vezes impossibilita o socorro imediato. Outros fatores de risco para os problemas cardiovasculares são as patologias que os diabéticos carregam, como :hipertensão, obesidade e colesterol alto. Todo este conjunto promove um mau funcionamento cardíaco que quando não tratado gera resultados bastante graves.

Infecções – Sistema Imunológico

Algumas pessoas diabéticas, não sabem que estão sujeitas à muitas infecções, devido à presença constante do açúcar no sangue.

Este excesso de glicose impede o correto funcionamento do sistema imunológico. O sistema imunológico tendo sua atuação reduzida deixa de proteger com eficiência o organismo. Isto contribui então para contrair com facilidade todo tipo de infecções diabéticas. Os glóbulos brancos perdem sua eficiência mediante a hiperglicemia. O organismo fica então desprotegido.

Além disso o alto índice glicêmico  torna ambientes como pulmões, boca ,gengiva, órgãos genitais, pele e ferimentos, um verdadeiro paraíso para proliferação de  bactérias e fungos.

Consequências da Diabetes nos Membros inferiores – Pé Diabético

 

consequência da diabetes

 

Mesmo com as diversas tecnologias e alternativas que a Ciência vem desenvolvendo, ainda não há formas perfeitamente eficientes de evitar o sofrimento causado pelas consequências da Diabetes.

Os portadores da doença ainda estão sujeitos a muitas complicações.  Muito ainda há a descobrir e desenvolver para que muitas vidas sejam salvas.   

Entre estas complicações uma das mais sofridas é a neuropatia diabética que provoca a perda da sensibilidade nos membros inferiores. Isto acaba por provocar o surgimento de lesões nos pés, de difícil cicatrização.

Este estado que caracteriza o Pé Diabético, geralmente evolui para infecção secundária de cura extremamente difícil. A ineficiência da circulação sanguínea piora muito esta situação.

Algumas complicações nos pés, são tão complexas que podem levar à amputações.

Leave a Reply

Your email address will not be published.