adoçantes para diabéticos

Adoçantes Para Diabéticos – Conheça Alguns…

Se você é diabético e quer controlar totalmente sua glicose ou se você é alguém que deseja muito emagrecer com saúde. Veja aqui neste post as diversas possibilidades reais e saudáveis que existem para substituir o açúcar. Não fique escravo do açúcar. Pois há muitas outras alternativas de adoçantes para diabéticos,  que você pode usar sem se privar das delícias da vida.

Açúcar – Dá para substituir?

Você quer se libertar do açúcar? Eu também. Mas isso não é só com a gente que acontece. A maioria das pessoas que precisam, por algum motivo, evitar o uso do açúcar em suas vidas têm esta dificuldade.

Mas, cá para nós. Não é nada fácil! Quer dizer não era fácil. Porque agora a coisa está mudando. E mudando para nosso bem, mudando para melhor. Pois, a boa notícia é que o sofrimento de não poder consumir açúcar e ter que viver na amargura, acabou. Veja aqui neste artigo como substituir o açúcar.

Açúcar –   O doce inimigo e sua interferência na Diabetes e no emagrecimento.

O açúcar desde muito considerado um dos alimentos mais saborosos de nosso cardápio, tem agora revelado sua outra face. Ou seja o doce gosto que agrada a tantos é visto agora como vilão número 1 da alimentação saudável.

Ele não é apontado como causador direto, mas tem participação significativa no agravamento e na complicação de patologias como a obesidade e a Diabetes.  Além disso o “branquinho doce” provoca o aumento do   triglicérides, alterações no fígado e na pressão arterial.

Mas a má fama do açúcar e sua ação principalmente na vida de diabéticos e obesos que querem e precisam emagrecer, não é por acaso. O açúcar refinado possui alta carga glicêmica e alto índice glicêmico, por isto ele deve ser evitado pelos diabéticos.

 Mas não é só isso, o açúcar também é desaconselhado para diabéticos e em casos de emagrecimento porque não contribui com nutrientes em quantidades suficientes para beneficiar o organismo. Pelo contrário acaba sendo prejudicial devido à carga de aditivos químicos que recebe em sua industrialização.

Veja o que torna o açúcar prejudicial aos diabéticos.

O açúcar possui alto índice glicêmico e alta carga glicêmica, estas características elevam a taxa de glicose no sangue fazendo com que aumente a demanda por insulina.

Isto para o diabético não é nada bom, já que a doença torna a produção de insulina bastante reduzida ou ineficiente. Vale observar que a insulina é um hormônio produzido pelas células beta do pâncreas para dar conta da entrada da glicose nas células.

No Diabetes tipo 1 a insulina não é produzida, por conta da destruição que o sistema imune impõe às células beta do pâncreas, que são as produtoras deste hormônio.  Sem a insulina a glicose fica acumulada no sangue.

No DM Tipo 2 ocorre a resistência insulínica que é um estado em que o organismo responde cada vez menos à presença de insulina. Na Diabetes tipo 2 há insuficiência de receptores de insulina e produção de insulina não eficiente.

Conhecendo mais   informações sobre o açúcar.

As notícias mais recentes sobre o consumo do açúcar vêm de pesquisas realizadas nos EUA onde o endocrinologista Robert Lustig, nome respeitado na Universidade da Califórnia (EUA), afirma que o açúcar causa tanto mal quanto o cigarro e o álcool e deveria também ser controlado. Seu vídeo: “A verdade Amarga” (Sugar: The Bitter Truth) é sucesso no You Tube desde quando foi postado em 2009.

Adoçantes Para Diabéticos – Açúcar X emagrecimento

adoçantes para diabéticos

 

Mas porque o açúcar deve ser evitado por quem quer emagrecer?  O açúcar engorda?

Na verdade o açúcar não engorda se for usado de forma adequada e moderada. Porque o que engorda é o excesso de açúcar no organismo. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que o uso do açúcar, incluindo todas as suas formas, gire em torno de 5% das calorias ingeridas diariamente, isto equivale a 6 col. de chá ou seja 25 g de açúcar.

Nosso corpo precisa do açúcar, pois é nossa fonte de energia. Mas, escuta só, gente – estamos falando de açúcar no sentido mais amplo, ou seja, estão incluídos aqui todas as formas de açúcar que vêm da alimentação. Portanto estamos falando de glicose, frutose e sacarose, presentes no açúcar refinado e no cristal, no mel, em polpa de frutas e sucos, e também o açúcar embutido em produtos industrializados.

Na verdade, o excesso de açúcar é que é o problema, é ele que não deixa a gente emagrecer. Quer saber como?

  • Ingerimos açúcar.
  • Ele chega ao intestino e é quebrado em moléculas menores.
  • Passa para a circulação sanguínea já na forma de glicose.
  • Quando a glicose chega ao sangue o pâncreas começa a secretar insulina para auxiliar a glicose a entrar nas células. Isto ocorre porque a glicose não pode ficar no sangue, pois ali ela é tóxica. Ela tem que ir para as células.
  • A insulina quando está no sangue, reina absoluta. Ela bloqueia as enzimas que queimam gordura. Isto quer dizer que enquanto a insulina está no sangue, a gente não emagrece. Enquanto ela está presente a gente está engordando.
  • A insulina encaminha toda a glicose que pode. O excesso é armazenado em forma de gordura.
  • E então a conclusão é:  Se comemos muito açúcar geramos picos de insulina no sangue.
  • A insulina impede a ação das enzimas emagrecedoras e o excesso de glicose vira gordura.

E assim a gente engorda. E aí tem mais… Isso acaba virando um ciclo vicioso que acaba desenvolvendo a resistência à insulina, sendo assim, a chance de nos tornarmos obesos e diabéticos é grande. Sem falar nas outras tristes possibilidades que cercam a obesidade e a diabetes como por exemplo hipertensão, problemas cardiovasculares, etc.

Então, fim da história: açúcar em excesso não combina com emagrecimento.

Mas, agora…

Chega de falar do amargo do açúcar e vamos à doce solução.

Você já deve imaginar qual foi a solução encontrada para amenizar esta situação e deixar nossa vida doce sem perder a saúde.

O jeito que tem te digo logo, são os substitutos do açúcar. Mas você não imagina como eles são diversos. Para ficar por dentro das características especiais e peculiares que possuem observe aí embaixo:

Os adoçantes para diabéticos

 

Os adoçantes foram criados exatamente para socorrer os diabéticos e aliviá-los da vida sem o açúcar que eles não devem consumir. Só depois é que passou a ser usado também para dietas de emagrecimento como forma de dar fim ao excesso de calorias.

Os diversos tipos de adoçantes:

Ciclamato – Usado em bebidas dietéticas, sorvetes, gelatinas. Não calórico. Tem gosto agradável ao paladar. É fabricado a partir do ácido ciclo hexano sulfâmico – derivado do petróleo. Não deve ser usado por pessoas com hipertensão arterial por ser combinado com sódio

Conhecido como: Assugrin, Adocil, Zero cal
Quantas caloria por grama? 0 calorias
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor Sabor residual meio doce- meio azedo
Pode ser submetido a temperatura até: Resiste a altas temperaturas
   

Sucralose é derivado do açúcar. Possui um sabor 600 vezes mais doce que o açúcar. Não apresenta sabor residual amargo. Resiste bem à altas temperaturas. É totalmente benéfico pois não possui efeitos tóxicos, cancerígenos ou neurológicos. É eliminado pela urina totalmente não sendo metabolizado pelo organismo.

Conhecido como: Sucralose / Splenda / Zero Cal(sucralose)
Quantas caloria por grama? 0 calorias
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor É agradável
Pode ser submetido a temperatura até: Resiste a altas temperaturas

 

Acessulfame –k –É um sal de potássio sintético com poder de adoçar 200 vezes mais que o açúcar.  Resiste a altas temperaturas e pode portanto ser usado em diversas preparações culinárias. Ele é eliminado da mesma forma que é ingerido, pois não é metabolizado pelo organismo.

Conhecido como: Classis
Quantas caloria por grama? 0 calorias
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor É agradável sabor semelhante a glicose
Pode ser submetido a temperatura até: Perde o poder adoçante a 225° C
Steviosídeo – stévia–  possui poder de doçura 300 vezes superior ao açúcar. Sem calorias. É feito a partir de uma planta denominada stévia. Não possui nenhum efeito colateral. É resistente a temperatura altas, podendo portanto ser usado para substituir o açúcar em bebidas quentes e receitas.
Conhecido como: Stevia / Stevine /Steviaplus
Quantas caloria por grama? 0 (zero) caloria
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor Sabor residual de alcacuz
Pode ser submetido a temperatura até: Estável a altas temperaturas

Aspartame –  Este adoçante é feito a partir dos aminoácidos: fenilalanina e ácido aspártico. O sabor é agradável, possui poder de doçura 200 vezes maior que o açúcar comum. Ele não apresenta residual amargo. Ele não suporta altas temperaturas e perde sua doçura quando submetido a elas. Muito usado na indústria principalmente em refrigerantes diet. Possui uma contraindicação: as pessoas com incapacidade de metabolizar fenilalanina (portador de fenilcetonúria), e as grávidas, não podem consumi-lo.

Conhecido como: Finn, Gold, Slim, Sweet, Zero cal
Quantas caloria por grama? 4Kcal
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor Parecido à sacarose
Pode ser submetido a temperatura até: Altera a doçura à temperatura superior a 180° C
Sacarina –  é fabricada a partir de um derivado do petróleo. Seu poder de adoçar vai de 200 até 700 vezes mais do que a do açúcar comum. Não é calórico. É o adoçante mais antigo que existe. Está no mercado desde o ano de 1900. Vem associado ao ciclamato, pois sozinho possui um sabor amargo residual metálico. A sacarina não é metabolizada em nosso organismo sendo eliminada pela urina. Não se altera em altas temperaturas podendo ser usada para preparações culinárias.
Conhecido como: New Lowcucar, Assugrin, Doce Menor
Quantas caloria por grama? 0K cal
Provoca caries? Não
Pode ser usado por diabéticos? Sim
Sabor Gosto residual amargo e metálico
Pode ser submetido a temperatura até: Permanece estável em altas temperaturas.

Os adoçantes dietéticos são ótimos aliados no tratamento da Diabetes e para emagrecimento, mas para uma resposta eficaz é necessário que haja uma mudança no estilo de vida, adotando hábitos alimentares saudáveis e prática de exercícios físicos.

Referências:

  • Tabela de edulcorantes- Inmetro -http://www.inmetro.gov.br/consumidor
  • OMS- Organização Mundial de Saúde
  • SBD- Sociedade Brasileira de Diabetes
  • You Tube – https://www.youtube.com/watch?v=dBnniua6-oM
  • University of California – http://www.uctv.tv/skinny-on-obesity/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *