Pé Diabético – Evite Este Sofrimento

Para quem não sabe, um dos maiores sofrimentos das pessoas que tem Diabetes é quando ocorre a incidência do Pé Diabético.

Trata-se de uma consequência do Diabetes Mellitus. O pé Diabético acontece quando há o desenvolvimento de uma úlcera nos pés, a partir de uma ferida inicial que infecciona. É uma complicação que surge a partir da Neuropatia Diabética. Acontece quando não se tem o devido cuidado. Na verdade, é uma consequência nada legal.

Lendo este artigo você poderá compreender como é perigoso deixar esta doença dominar. Se você é Diabético ou se é bem chegado a alguém que tem a Diabetes, não deixe para depois. Vai aqui um alerta. Leia mais para saber…

 Entenda a Diabetes e Cuide-se!

 

 

pé diabético

 Pé diabético

 Pé Diabético

 Pé diabético

Primeiros sinais:

Às vezes é difícil de acreditar que a Diabetes mal cuidada cause tanto mal. Mas, não vale a pena pagar para ver.  O que a princípio pode parecer quase nada pode se tornar um caso bem sério.

E posso te dizer que um dos casos sérios causados pela Diabetes é o problema do Pé Diabético. Você já ouviu falar? Pois tem gente que sofre com este mal sem saber do que se trata. Passa às vezes muito, muito tempo, tentando curar uma ferida nos pés que nunca cicatriza e não sabe porquê.

Pois saiba que o Diabético precisa cuidar muito bem dos pés. Assim como precisa cuidar das mãos. São extremidades do corpo que no caso do diabético, necessitam de cuidados especiais.

Parece incrível, não é mesmo? Mas é verdade. Quem não cuida da Diabetes e passa tempos e tempos sem medicação, fazendo dieta mal feita, ignorando a doença, corre um grande risco. O risco de contrair uma complicação que é a Neuropatia Diabética. É essa neuropatia que leva ao pé diabético.

Você sabia que a Neuropatia Diabética geralmente acomete pessoas que são portadoras de Diabetes a pelo menos 25 anos? Pense bem no que isto significa.

Parece que só tem um significado: Se você tem Diabetes e passa 25 anos não se cuidando direito está dentro do quadro de risco de ser afetado pela Neuropatia Diabética.

Para entender você precisa saber o que é Neuropatia Diabética

A Neuropatia Diabética pode acontecer com quem tem Diabetes tipo 1 ou Diabetes tipo 2. Ela ocorre devido a permanência da glicose no sangue em altos índices. Nestes casos os nervos são afetados. A Diabetes mexe com os vasos sanguíneos de nosso corpo.

Sabemos que são nossos vasos sanguíneos que transportam no sangue, o oxigênio que precisamos em todas as células e partes de nosso corpo. Nossos nervos também são irrigados pelos vasos sanguíneos, pois os nervos também precisam de oxigênio.

Mas, o oxigênio precisa chegar direitinho para que haja o perfeito funcionamento dos nervos. Só que, nos diabéticos os nervos são danificados e ficam ineficientes, e reduzem muito o transporte de oxigênio. É isso que chamamos de Neuropatia Diabética – É o prejuízo que a Diabetes causa aos nervos fazendo com que eles funcionem mal.

Neuropatia Periférica

 

E quando este prejuízo atinge os nervos das extremidades do corpo (braços, mãos, pernas, pés) passa a chamar-se Neuropatia Periférica – É o tipo mais comum da Neuropatia Diabética que atinge os diabéticos sem dó nem piedade levando ao surgimento do pé diabético.

Quando os nervos começam a não funcionar direito a gente sofre várias consequências, uma delas é a perda da sensibilidade nos pés e nas mãos. Muita gente acha que isso não é nada. Mas estão enganados.

A Ferida que não quer curar

 

Esta perda de sensibilidade é um dos sintomas da Neuropatia Diabética. Perdendo a sensibilidade o diabético passa a não perceber pequenos ferimentos, até mesmo arranhões nos pés. Sem a percepção, estas feridas, a princípio sem importância, se alastram e transformam-se em lesões ou úlceras.

Aí então é que começa o drama, pois as feridas não se fecham facilmente, permanecem por longo tempo abertas, infeccionam e dão liberdade de entrada a muitas bactérias. Isso ocorre também, devido à reduzida eficiência do sistema imunológico dos diabéticos.

Caracteriza-se assim o Pé Diabético.

Os sintomas do Pé diabético

Diante de tudo isso que vimos acima, temos que nos preocupar com esta difícil condição que é o Diabetes e para dar o pontapé inicial nada como conscientizar sobre os sintomas da doença. Observe na lista abaixo os primeiros sinais de perigo:

  1. Problemas de má circulação;
  2. Formigamentos;
  3. Perda da sensibilidade nos pés;
  4. Dores;
  5. Queimação nos pés;
  6. Sensação de estar sendo atingido por agulhadas;
  7. Dormência;
  8. Fraqueza nos membros inferiores;

 Muito comum é sentir estes sinais à noite, ao deitar, quando o corpo está mais relaxado.

É importante estar alerto porque muitas pessoas só se dão conta da gravidade do problema quando estão a ponto de sofrer amputações.

 Outro alerta importante são os fatores de risco:

Quadro de risco do Pé Diabético – Quem está na lista?

 

pé diabético

As situações que implicam em maiores fatores de risco:

  • Permanência de glicose em altas taxas no sangue.
  • Níveis elevados de hemoglobina glicada- A Hemoglobina glicada é um exame de sangue feito em pessoas com Diabetes para avaliar se a doença está controlada. Também chamada de Hemoglobina Glicosilada. O resultado mostra as porcentagens de variação dos níveis de glicose nos últimos 3 meses.
  • Descontrole da doença.
  • Falta de cuidados com os pés.
  • Falta de atenção ao cortar as unhas.
  • Uso de sapatos apertados e inadequados.

 

Prevenção & Cuidados com os Pés Diabéticos

 

 

A melhor forma de cuidar é prevenir. As pessoas diabéticas precisam ter cuidados especiais com os pés:

1-O Principal cuidado é manter os níveis de glicose no sangue controlados.
2- Os portadores de Diabetes não podem esquecer dos pés. Precisam realizar exames diariamente em casa e no médico pelo menos de 6 em 6 meses. Este exame semestral pode ser feito pelo endocrinologista ou clínico geral. O objetivo é perceber qualquer ferida que esteja se iniciando, para assim evitar úlceras ou lesões.
3- É importante não deixar o pé parado. Sempre que possível faça movimentos circulares com os pés. Isto ativa a circulação sanguínea neste local e melhora a oxigenação.
4- Use água em temperatura ambiente e adequada. Não deve ultrapassar 35°.
5-Não abuse com escalda-pés, saunas ou água muito quente. Estes atos podem causar queimaduras imperceptíveis que mais tarde podem se tornar feridas graves.
6-A água fria demais também não é aconselhável, porque reduz a circulação sanguínea, que no diabético já não é 100 por cento.
7-Não crie o hábito de colocar os pés de molho pois isto favorece as infecções por fungos (micoses e frieiras).
8-Sempre seque muito bem os pés principalmente entre os dedos.
9- Procure usar calçados que não apertem os pés. Não são recomendados os sapatos que causam desbalanceamento nos pés e nem os sapatos que sufocam e não permitem aos pés respirar.  
10-Também não é indicado andar descalço ou o uso frequente de sandálias pois não protege os dedos podendo sofrer topadas e outros impactos que causem feridas.
11- Corte as unhas com bastante cuidado. De preferência peça alguém pra cortar, se possível um podólogo ou enfermeiro.  Mantenha as unhas sempre lixadas. Não corte o canto da unha arredondada para evitar que a unha encrave. Não tire as cutículas e evite manicures.

Apesar da Diabetes, é possível levar uma vida normal e saudável.  Com um controle das taxas de glicose as complicações podem ser evitadas. Tudo é possível a partir de um controle adequado.

Algumas mudanças são necessárias, algumas trocas são imprescindíveis, mas vale a pena pagar o preço, pois em compensação serão mais dias de vida com mais saúde, mais qualidade e mais alegria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *